Home » Candidaturas » Candidatura 1º Ciclo

Candidatura 1º Ciclo

Documentos Necessários

Boletim de candidatura

Certificado de habilitações

conclusão do ensino secundário, original ou cópia autenticada

Uma fotografia

Cartão de cidadão

bilhete de identidade, original e fotocópia

Cartão de contribuinte

original e fotocópia

Ficha ENES

declaração com a nota dos exames nacionais, original ou cópia autenticada

A Candidatura

Concurso de acesso (via 12º ano)

Ter concluído o ensino secundário ou habilitação equivalente.

De acordo com o novo sistema de acesso, qualquer curso do Ensino Secundário constitui habilitação para concorrer a qualquer curso do ISG.

Ter realizado em 2017 o exame nacional da disciplina que o ISG considera como prova de ingresso para o curso a que pretende candidatar-se.

Ter realizado em 2014/2015, 2015/2016 ou em 2016/2017 os exames nacionais do ensino secundário das disciplinas que sejam exigidas como provas de ingresso para os cursos a que se candidata, Deliberação Nº. 02/2017 da Comissão Nacional de Acesso ao Ensino Superior (CNAES).

Estes exames só podem ser utilizados para a candidatura correspondente à época em que os mesmos foram realizados, ou seja, os candidatos que realizaram as provas na 2ª fase, só poderão candidatar-se nessa mesma fase.

As provas de ingresso serão as exigidas para este ano letivo.

Para os alunos abrangidos pelo artº.20º-A do Decreto-lei nº.296-A/98 de 25 de Setembro:

  • Documento comprovativo da equivalência ao exame nacional da disciplina específica que o ISG considera como prova de ingresso para o curso a que se candidata, passada pela Direção de Serviços de Acesso ao Ensino Superior.
  • Equivalência ao Ensino Secundário Português, passada pela Direcção-Geral do Ensino Secundário.

Os exames nacionais das provas de ingresso decorrem nas datas e escolas indicadas pelo Ministério da Educação e Ciência.

Decreto-lei nº 90/2008, de 30 de Maio – Acesso e Ingresso ao Ensino Superior

Critérios de seriação dos candidatos

Os candidatos serão seriados para os respetivos cursos através da atribuição de uma nota de candidatura, na escala de 0 a 200, calculada com base na seguinte ponderação:

  • 65% – Ensino Secundário
  • 35% – Prova de Ingresso

Os candidatos terão de respeitar a nota mínima de 95 Pontos na prova de ingresso e 95 pontos na média de candidatura.

Os candidatos serão ordenados por ordem decrescente das respetivas notas de candidatura, sendo a sua colocação feita nas vagas existentes.

As listas de colocação serão tornadas públicas e com os resultados expressos da seguinte forma

  • Colocado
  • Não colocado
  • Excluído da candidatura

Documentação a entregar pelo candidato

  • Boletim de candidatura
  • Certificado de habilitações de conclusão do ensino secundário (10º,11º e 12º) original ou cópia autenticada
  • Declaração com a nota dos exames nacionais (ficha ENES) – original ou cópia autenticada
  • Uma fotografia
  • Bilhete de identidade / Cartão de cidadão (original e fotocópia)
  • Cartão de contribuinte (original e fotocópia)
  • Pagamento da taxa de candidatura
  • Documento comprovativo da inscrição no exame nacional da disciplina específica que o ISG considera como prova de ingresso para o curso a que se candidata. Este documento só é válido para pré-candidaturas, o candidato não será seriado até à apresentação do documento solicitado em 3.

Concurso de admissão para maiores de 23 anos

Candidatos ao exame especial de avaliação de capacidade para acesso ao Ensino Superior Maiores de 23 anos;
Documentos a apresentarem na inscrição às provas de Admissão ao Ensino Superior para maiores de 23 anos, concluídos até 31 de Dezembro do ano civil anterior à realização das provas:

  • Certificado de habilitações
  • Curriculum vitae atualizado, datado e assinado, com a indicação do seu percurso escolar e profissional
  • Documento de identificação e respetiva fotocópia
  • Cartão de contribuinte e respetiva fotocópia
  • Uma fotografia

Eficácia das provas

  1. A aprovação nas provas para o acesso ao ensino superior produz efeitos para a candidatura ao ingresso no Instituto para o curso para o qual tenham sido realizadas e no ano letivo a que respeitam;
  2. O candidato aprovado pode utilizar as provas realizadas para candidatar – se a outros cursos do Instituto, mediante requerimento dirigido ao Diretor de Curso;
  3. Podem ser admitidos à candidatura, matrícula e inscrição em cursos do Instituto estudantes que, no âmbito da aplicação do Decreto – Lei nº 64/2006, de 21 de março, tenham obtido aprovação em provas de ingresso em cursos de outros estabelecimentos de ensino superior;
  4. Cabe ao Diretor de Curso decidir pela aceitação ou não, devendo para o efeito fundamentar, das provas referidas em 2 e 3 como adequadas para avaliar a capacidade para a frequência do curso em causa do Instituto.

Decreto-lei n.º 113/2014, de 16 de julho – regula os concursos especiais de acesso e ingresso no ensino superior, alterado pelo decreto-lei n.º 63/2016 de 13 de setembro

Decreto de Lei nº 63/2016, Artigo nº 17

 Regulamento 231/2011 – Provas de Admissão Maiores de 23

Concurso especial de acesso, CET - Titulares de Diploma de Especialização Tecnológica

Os candidatos ao abrigo do Concurso Especial de Acesso, Titulares de Diploma de Especialização Tecnológica, ”CET” para a candidatura- deverão entregar os seguintes documentos:

1 – Certificado de Habilitações do Curso Tecnológico, CET;

2  – Diploma em como é titular de um Diploma de Especialização  Tecnológico “DET”;

3  – Ficha ENES;

4  – Cópia do documento de identificação;

5 – 1 Foto.

    Decreto-lei n.º 113/2014, de 16 de julho – regula os concursos especiais de acesso e ingresso no ensino superior, alterado pelo decreto-lei n.º 63/2016 de 13 de setembro

    Decreto de Lei nº 63/2016, Artigo nº 17

     

    Concurso especial de acesso, CTESP - Técnico Superior Profissional

    Os candidatos ao abrigo do Concurso Especial de Acesso, Titulares de Diploma de DE Curso Técnico Superior Profissional, ”CTESP” para a candidatura deverão entregar os seguintes documentos:

    1 – Certificado de Habilitações do Curso Técnico Superior Profissional, “CTESP”;

    2  – Diploma em como é titular de um Diploma de Curso Técnico Superior Profissional “CTESP” ;

    3  – Ficha ENES;

    4  – Cópia do documento de identificação;

    5 – 1 Foto

      Decreto-lei n.º 113/2014, de 16 de julho – regula os concursos especiais de acesso e ingresso no ensino superior, alterado pelo decreto-lei n.º 63/2016 de 13 de setembro

      Decreto de Lei nº 63/2016, Artigo nº 17

       

      Candidatura por Mudança de Par Instituição/Curso, e titulares de cursos superiores do ensino português

      Reingresso

      Reingresso é o ato pelo qual um estudante, após interrupção dos estudos, num determinado curso, do Instituto Superior de Gestão, se matrícula e inscreve no mesmo estabelecimento de ensino e curso ou curso que lhe tenha sucedido.

      Mudança de Par Instituição/Curso

      Mudança de curso é o ato pelo qual um estudante se inscreve num Curso Superior diferente daquele em que praticou a última inscrição, no mesmo ou noutro estabelecimento de ensino, tendo havido ou não interrupção de inscrição num curso superior.

      Para requerer a mudança para um determinado curso, o estudante deve satisfazer as seguintes condições:

      a) Ter realizado com a nota mínima exigida as provas de ingresso fixadas para a candidatura ao par Estabelecimento/Curso em causa, independentemente do ano da realização das mesmas.

      b) Ter realizado o ensino secundário de acordo com o exigido para a primeira candidatura ao ensino superior.

      Titulares de cursos superiores

      Para os candidatos que sejam titulares de um Curso Superior e que pretendam candidatar-se a outro curso superior.

      Documentação

      Reingresso

      Em anexo ao requerimento do pedido de Reingresso os alunos terão de apresentar fotocópia do Bilhete de Identidade / Cartão de Cidadão, Cartão de Estudante, fotocópia do Cartão de Contribuinte, declaração de matrícula, bem como quaisquer outros documentos que considere importantes para o processo.

      Mudança de Par Instituição/Curso

      Em anexo ao requerimento do pedido de Mudança de curso os candidatos terão de apresentar a seguinte documentação:

      • Certificado de habilitações do ensino secundário
      • Certificado de habilitações ou declaração de matrícula do ensino superior
      • Documento comprovativo dos exames nacionais de acesso ao ensino superior
      • Conteúdos programáticos, com carga horária e ECTS, caso queira pedir creditação das unidades curriculares realizadas
      • 1 Fotografia
      • Bilhete de identidade / Cartão de Cidadão e respetiva fotocópia
      • Cartão de contribuinte e respetiva fotocópia

      Titular de curso superior

      Em anexo ao requerimento de candidatura, os candidatos terão de apresentar a seguinte documentação:

      • Certificado de habilitações do ensino superior
      • Conteúdos programáticos, com carga horária e se possível com ECTS, caso queira pedir creditação das unidades curriculares realizadas
      • 1 Fotografia
      • Bilhete de identidade / Cartão de Cidadão e respetiva fotocópia
      • Cartão de contribuinte e respetiva fotocópia

      Critérios de seriação

      Situação de mudança de curso:

      A seriação dos candidatos é realizada, por ordem decrescente da classificação final da candidatura (CFC) considerando o seguinte critério:

      • Classificação obtida nos exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso fixadas, para 2017, para o par instituição/curso (CPI);
      • A classificação final da candidatura é calculada da seguinte forma CFC = a CPI.

      Situação de transferência de curso:

      A seriação dos candidatos é realizada, por ordem decrescente da classificação final da candidatura (CFC) considerando o seguinte critério:

      • Classificação obtida nos exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso fixadas, para 2017, para o par instituição/curso (CPI);
      • A classificação final da candidatura é calculada da seguinte forma CFC = a CPI.

      Comunicação da decisão

      A decisão sobre os pedidos de reingresso, mudança de par instituição/curso, transferências e titulares de cursos superiores, é da competência do órgão estatutariamente competente é válida apenas para a inscrição no ano letivo a que respeita e é afixada em edital do qual consta uma lista de seriação.

      A decisão será comunicada ao estudante interessado de forma expedita, nomeadamente por intermédio de correio eletrónico.

      Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior 

      Portaria nº 305/2016, de 6 de dezembro, artigo 24º

      Mudança de Par Instituição/Curso, e titulares de cursos superiores estrangeiros

      Os candidatos estrangeiros que pretendam apresentar a candidatura por mudança de curso, transferências ou titulares de cursos superiores terão de fazer prova que estiveram matriculados em curso de ensino superior e que este está definido como superior pela legislação do país em causa.

      Documentação necessária para a formalização da candidatura

      Os Candidatos terão de apresentar os documentos que a seguir se mencionam, devidamente assinados pelos Estabelecimentos de Ensino de origem e autenticados com selo branco. Todos os documentos terão de ser autenticados pelo Consulado Português no País de origem, ou A postilados nos termos da Convenção de Haia e devidamente traduzidos, por tradutores oficiais, quando os documentos estiverem elaborados em língua diferente da portuguesa, espanhola, francesa ou inglesa;

      • Certificado de Habilitações do Ensino Secundário do País de origem;
      • Documento que comprove a forma de ingresso no ensino superior no País de origem e se existirem exames de acesso ao ensino superior/curso, os mesmos terão de ser identificados no mesmo documento;
      • Certificado de Habilitações do Ensino Superior com a designação das unidades curriculares aprovadas, sempre que possível com os correspondentes ECTS e classificações atribuídas e a identificação dos anos letivos e curriculares;
      • Curriculum do Curso Superior em que esteve inscrito;
      • Conteúdo Programáticos das Cadeiras às quais pretende pedir creditação, com a identificação dos ECTS/horas letivas, com a indicação de as mesmas são anuais ou semestrais;
      • Escala de classificação, utilizada no Estabelecimento de Ensino onde realizou as unidades curriculares;
      • Documento de Identificação válido em Portugal;
      • 1 Fotografia.

      Comunicação da decisão

      A decisão sobre os pedidos de mudança de par instituição/curso, transferências e titulares de cursos superiores,  é afixada em edital do qual consta uma lista de seriação.

      A decisão será comunicada ao estudante interessado de forma expedita, nomeadamente por intermédio de correio eletrónico.

      Creditação de competências académicas e profissionais

      Ao abrigo do artº 45.º do Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de março, com a redação dada pelo Decreto-Lei n.º 63/2016, de 13 de setembro, estabelece as normas a que fica sujeito o processo de creditação de formação superior, bem como o reconhecimento de experiência profissional e outra formação.

      Regulamento de atribuição de Creditação de Competências 279/2017, Diário da República, 23 maio 2017

      Decreto Lei nº 74/2006, de 24 de março

      Decreto-Lei nº 115/2013, de 7 de agosto

      Regulamento interno de creditação de competências académicas e profissionais

      Matrícula e inscrição

      Os candidatos colocados num determinado curso deverão efetuar a sua matrícula e inscrição nos sete dias úteis subsequentes à data do envio por correio eletrónico a sua colocação, sob pena de caducidade do resultado obtido no concurso.

      No boletim de matrícula/inscrição o candidato poderá indicar a sua preferência de turno (diurno ou pós-laboral). O ISG tentará satisfazer, na medida do possível, essa preferência, tendo em atenção o superior interesse do ensino.

      Em caso de desistência por não colocação no turno de preferência, não haverá reembolso das importâncias entretanto pagas.

      Matrícula

      Matrícula é o ato pelo qual se dá entrada no Ensino Superior. A matrícula é obrigatória para todos os alunos que ingressem pela primeira vez no Ensino Superior ou que tenham deixado de ter matrícula válida.

      A matrícula realiza-se em simultâneo com a primeira inscrição sendo efetuada na Secretaria, pelo próprio ou seu procurador.

      Inscrição

      A inscrição é o ato pelo qual o aluno, depois de ter feito a matrícula, fica em condições de frequentar as diversas unidades curriculares em que se inscreve. São nulos e de nenhum efeito os resultados obtidos em unidades curriculares a que o aluno não esteja inscrito.

      A inscrição é efetuada anualmente na Secretaria, pelo aluno, ou seu procurador, nos prazos fixados:

      1. Novos alunos – 7 dias úteis após colocação

      2. Antigos alunos – 7 dias úteis após a afixação do resultado que defina a transição de ano. As unidades curriculares em atraso, terão o prazo de 3 dias úteis após a afixação das respetivas notas.

      3. Não é permitida a inscrição em unidades curriculares em que o aluno já tenha obtido aprovação. Pode, no entanto, ser requerida a repetição de exame para melhoria de nota, apenas uma vez por unidade curricular.

      4. A inscrição obriga ao pagamento de propinas cujo montante é fixado anualmente pela Administração da Escola. As propinas são anuais/semestrais/trimestrais/mensais e deverão ser pagas de 1 a 8 de cada mês a que reporta a modalidade de pagamento.

      Elementos e documentos necessários

      1. Boletim de matrícula/inscrição;

      2. Bilhete de Identidade / Cartão de Cidadão;

      3. 2 Fotografias;

      4. Declaração passada pela entidade patronal, no caso de ser  trabalhador-estudante, acompanhado da declaração da Segurança Social;

      5 .Pagamento de seguro escolar;

      6. Pagamento da matrícula e da inscrição. (Não serão devolvidos os valores pagos na candidatura, Matrícula e Seguro Escolar, por anulação ou desistência do curso em que se candidataram ou matricularam);

      7. Fotocópia do Cartão de Identificação Fiscal, na situação de não ter cartão de cidadão.

      Alunos que têm processos de creditação de competências pendentes

      • Os alunos, aquando dos prazos normais, devem inscrever-se às unidades curriculares do respetivo plano de estudos, com exceção daquelas a que pediram creditação;
      • Em caso de dúvida, o aluno não se inscreve sem que seja apreciado o processo de creditação;
      • Após apreciação do processo o aluno deverá, nos sete dias úteis imediatos à comunicação da decisão, inscrever-se nas unidades curriculares às quais não obteve creditação;
      • Em qualquer dos casos devem ser cumpridas as regras de passagem de ano;
      • As creditações devem ser requeridas no ato da candidatura.

      Anulação, alteração de inscrições

      A inscrição de qualquer aluno será anulada nas seguintes condições:

      1. Por não se verificarem os requisitos necessários à inscrição;
      2. Por não pagamento de propinas ou a documentação exigida não ter sido apresentada dentro dos prazos fixados;
      3. Por declaração, exarada em papel comum, desistindo da frequência de uma ou mais unidades curriculares.

      Só são permitidas alterações às inscrições das unidades curriculares em atraso nos primeiros 15 dias de cada semestre, desde que se comprove sobreposição de horários.

      Calendário | Candidaturas especiais de Mudança de Par Instituição/Curso ou reingresso

      As candidaturas especiais de mudança de curso, transferência ou reingresso podem ser apresentadas fora do calendário normal mas o oportunidade da sua concretização depende de apreciação fundamentada realizada pelo órgão académico competente.

      Divi WordPress Theme