Gestão Hospitalar

DIREÇÃO

Dr. Carlos das Neves Martins

Licenciado em Relações Internacionais/Ramo Económico e Políticas (Universidade do Minho); Presidente da ARS do Algarve (1994/1995); Secretário de Estado da Saúde (2002/2004); Secretário de Estado Adjunto do Ministro do Turismo (2004/2005);  Presidente do Centro Académico de Medicina de Lisboa (2013/2016); Vogal do Conselho Consultivo do Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve; Presidente do Conselho de Administrador do Centro Hospitalar Lisboa Norte, E. P. E. (desde 2013); Professor Associado Convidado do Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina da Universidade do Algarve (desde 2017).

Este curso destina-se a alunos interessados em gestão hospitalar nos seus vários níveis ou a profissionais de saúde em exercício (médicos, enfermeiros, técnicos, informáticos e outros) e pretende dar-lhes uma visão atual e multidisciplinar do processo de mudança que caracteriza as organizações hospitalares. Tem como finalidade dotar os alunos de instrumentos que lhes permitam fazer face aos desafios atuais e futuros determinados pela evolução dos conhecimentos científicos e tecnológicos na prestação de cuidados de saúde em ambiente hospitalar.

 

COORDENAÇÃO

Dra. Maria Ermelinda Carrachás

Horário

Pós-laboral

Duração / ECTS

150 Horas / 26 ECTS

Data de Início Prevista

Novembro 2019

METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO

A avaliação da unidade curricular resultará da combinação dos resultados obtidos no exame final e na avaliação contínua, de acordo com os seguintes parâmetros: Avaliação contínua – 35%; Exame final – 65%. A classificação da “avaliação contínua” resultará da valorização da assiduidade, da participação e intervenção nas aulas, da resolução de trabalhos individuais ou de grupo e de provas escritas ou orais de avaliação.
O teste final será constituído por uma prova escrita com perguntas abertas (três temas à escolha do aluno) e outras de resposta curta (com espaço limitado), de identificação de questões/afirmações “falsas” ou “verdadeiras” ou por um “mix” de ambas. Em função da carga horária atribuída à unidade curricular, a prova escrita poderá ser substituída por um trabalho individual, com prazo de entrega a definir pelo docente responsável.

Qualificar os participantes para o exercício de funções de gestão e liderança em estabelecimentos hospitalares, dotando-os com conhecimentos nas vertentes económica, legal, financeira e integrando tecnologias de informação, que lhes permitam, em consonância com os diferentes atores, gerir não só a atividade corrente, como a introdução de novos projetos. Os tempos letivos serão dedicados à resolução de problemas com impacto na estratégia de crescimento e na qualidade dos serviços, com o intuito de treinar e motivar a próxima geração de líderes de serviços hospitalares a braços com uma verdadeira revolução digital: o rápido aparecimento de novas tecnologias (comunicação, big data, redes sociais, a robótica…) bem como alterações demográficas e económicas, determinarão grandes alterações nos hospitais num futuro próximo. Experiência adicional fora do ambiente escolar faz também parte integrante do curso, permitindo que os conhecimentos obtidos sejam aplicados ao mundo real, atentos que somos à necessidade de repensar como otimizar as configurações internamento/ambulatório na comunidade e integrar tecnologias digitais nos serviços hospitalares tradicionais, de forma a contribuir para um sistema de saúde eficiente e aberto a todos.

Dotar os participantes de instrumentos imprescindíveis à prestação de cuidados de saúde em ambiente hospitalar, capacitando-os para as exigências da sua futura missão como lideres: tornar os hospitais locais mais seguros, eficientes e mais adequados a profissionais motivados para a melhoria da qualidade, segurança e redução do risco, num quadro de mudança proveniente da adoção de novas tecnologias. Deverão enfrentar casos desenhados para o hospital do futuro, possuindo informação centralizada, exigindo a monitorização contínua do doente, a utilização de micro -dispositivos, inteligência artificial e mesmo robótica, automação ou RPA, sem esquecer a capacidade de saber gerir pessoas em ambiente hospitalar e em que a prestação de cuidados mais complexos continuará a exigir perícia humana e cuidados em internamento. No final do curso deverão ter adquirido, entre outros, sensibilidade sobre os benefícios tangíveis num mundo eletrónico, ao serviço do doente, e preparados para lançar uma cultura de transformação digital, onde a importância do novo regulamento geral de proteção de dados (RGPD) e as dimensões da Segurança da Informação (cibernética) que são vitais, façam parte do dia a dia das organizações, tal como a gestão da informação, interoperabilidade, produção, elasticidade e inteligência na sua análise.

Pessoas com formação adequada ao avanço do percurso académico e interessados na área de gestão hospitalar e profissionais de saúde em exercício em unidades hospitalares públicas e privadas (médicos, enfermeiros, técnicos de saúde, informática e outros).

Designação

ECTS

Horas contacto

Nome

Habilitação

1 Semestre
Sistemas e políticas de saúde 2 12 J. Silveira Ribeiro Licenciado em Economia (ISEG); Graduação em Administração Hospitalar (E.N.S.P); Programa de Alta Direção de Instituições de Saúde (AESE) e Administrador no CHLC,EPE.
Enquadramento jurídico da atividade hospitalar 2 12 Luís Neto Galvão Licenciado em Direito (UCP);Mestrado em Estudos Europeus – Política/Administração (College of Europe, Bruges); Pós-Graduação em Estudos Europeus, Dominante Jurídica (UCP)
Liderança em gestão hospitalar 3 16 Carlos das Neves Martins Licenciado em Relações Internacionais/Ramo Económico e Políticas (Universidade do Minho); Presidente da ARS do Algarve (1994/1995); Secretário de Estado da Saúde (2002/2004); Secretário de Estado Adjunto do Ministro do Turismo (2004/2005);  Presidente do Centro Académico de Medicina de Lisboa (2013/2016); Vogal do Conselho Consultivo do Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve; Presidente do Conselho de Administrador do Centro Hospitalar Lisboa Norte, E. P. E. (desde 2013); Professor Associado Convidado do Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina da Universidade do Algarve (desde 2017).
A gestão das pessoas em contexto hospitalar 3 20 Maria Ermelinda Carrachás Licenciada em Direito, Curso de Administração Hospitalar (ENSP);Curso de Formação Avançada de Gestão Pública (INA); Curso de Formação Avançada do Doutoramento em Administração Pública – Doutoranda em Administração Pública (ISCSP)
A vertente financeira da gestão hospitalar 3 20 Margarida Moura Theias Licenciada em Economia (ISEG); Administração Hospitalar (ENSP); MBA em Contabilidade e Auditoria (K.U.Leuven-Bélgica); Programa de Alta Direção de Instituições de Saúde (AESE); Actualmente Diretora dos Serviços Financeiros no Ministério da Economia (SG); Dirigente em vários Hospitais em Lisboa de 1996 a 2012, responsável pelas áreas administrativas e financeira.
Gestão de operações e logística 3 16 Mário Bernardino Licenciado em Direito; Estágio de Advocacia; Curso de Administração Hospitalar (ENSP); Curso Avançado de Gestão Pública (INA); Programa de Alta Direção de Instituições de Saúde (AESE); Certificado de Competências Pedagógicas para Formador (IEFP); Membro de vários conselhos de administração de hospitais públicos de 2002 a 2016; Vencedor do Prémio António Arnaut 2016 instituído pela Edições Almedina e patrocinado pela Fundação Calouste Gulbenkian; Administrador no CHLO
A gestão do hospital no futuro: inovação e processo de mudança 3 16 Carlos Caiado Licenciado em Gestão de Empresas (ISG); Doutorando em Gestão de Informação (UNL); Professor Auxiliar convidado NOVAIMS;  Presidente da Administração Central do Sistema de Saúde, ACSS.
Sistemas de informação: determinantes da atividade hospitalar 3 16 Rui Gomes Licenciado em Engenharia Eletrotécnica (FCTUC); Mestre em Informática Médica (FMUP); Assessor do Conselho de Administração, para a área dos Sistemas de Informação, do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Seminário: visão clínica da gestão hospitalar 1 6 Campos Pinheiro Licenciado em Medicina (UC); Chefe de Serviço na Carreira Hospitalar; Especialista em Urologia; Ex. Presidente da Associação Portuguesa de Urologia, Fellow do European Board de Urologia e experiência na Presidência de Executivos – Direção Clinica nos Hospitais do SNS
Elaboração de um projeto em contexto hospitalar 3 16 Equipa multidisciplinar a selecionar

O ISG possui um centro de Investigação denominado Cigest que está essencialmente orientado para a investigação aplicada, procurando estabelecer uma forte ligação entre a teoria e a prática.

Para uma maior proximidade entre os estudantes e as empresas, o ISG dispõe igualmente da DRIE – Direção de Relações Internacionais, Estágios, Emprego e Empreendedorismo.”

×

Bem-vindo(a)!

Contacte-nos pelo WhatsApp

× 969844241
Divi WordPress Theme